Linha do Tempo (2014)

1 - Te Trará
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00001
Sem armas ou sem escudo
Cruzando pontes e castelos
Estava preso em meu mundo
Com minhas correntes sem elos

Que na força do alto mar
Levaram me pra ti
Pelo o alto mar

Então léguas a frente
Há uma terra sem passado
Sem magoas remanescentes
Onde me vejo ao seu lado

Onde os ventos irão mudar
E para bem perto de mim
Te trará

Se não puderes mais me ver
Se minha alma ao corpo não dá mais razão
Escute em meu coração o que sempre guardei para você
Veria as chamas do sol na lua crescente
Viajaria ao lado do terror
Viveria um pecador descrente
Para ter de volta o seu amor

E os ventos vão mudar
E para bem perto de mim

Te trará

2 - Acorde
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00002

Na poesia que não chegou ao fim
Você está dormindo pra mim
Vou te guardar assim
E as estrofes jogadas de lado
Me deixaram acordado
Deitado em seus braços
A-cor-de

Abri os meus olhos cegos de tanta dor
Porque você trouxe a luz pra mim e me curou
Se a métrica não se importar
Um verso, um soneto ao ar
Pra você despertar
Mas tenho o tempo ao meu lado
Pra escutar os teus passos
Desacelerados
A-cor-de

Abri os meus olhos cegos de tanta dor
Porque você trouxe a luz pra mim e me curou

3- Palma da Mão
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00003

Não me diga o que há pra fazer
Pois agora não estou à mercê
Minhas ações não existem mais
Desejos e sonhos estão pra trás
Chega de falar em direção
Deixe-me andar em vão
As previsões não têm mais graça
Palma da mão então disfarça
Tá tudo na cara, acabou, chega
Não há certeza nem incerteza
Apenas escute o nada, a ausência
Abra a cela da sua paciência
Chega de falar em direção
Deixe-me andar em vão
As previsões não têm mais graça
Palma da mão então disfarça
O fim se despede se desprende
Cortinas se fecham bem na sua frente
Você nada mais que um belo brinquedo
Não lhe resta nem um último segredo
Chega de falar em direção
Deixe-me andar em vão
As previsões não têm mais graça
Palma da mão então disfarça
Então disfarça
Então desfaça
Então disfarça

4 - Se Você Acha
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00004

Se você acha que seu destino está traçado
E não faz nada, tem os seus dias contados
Se perdeu algo que te levava pra algum lugar
Que não existe mais, trace uma história a marcar
Dê um passo à frente
E sempre queira mais
Sem provérbios orientais
Acredite: você não está doente
Você é muito mais que sua pele
Se por um lado foi bom
Deixe o passado pra trás
Se você acha que seu destino está traçado
A vida passa, não fique aí parado
Filmes & cartas & fotos já não servem mais
Se a vida é pra ser vivida
As lembranças abrem as feridas
De quando não se tem mais
Escreva o dia seguinte
Vivendo o dia de hoje
Deixe o passado pra trás
Se você acha
Se você acha
Se o céu é o limite
Viva em busca das nuvens
Com os seus pés no chão
Se você acha
5 - O Que Você Era Para Mim
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00005
Se você não está aqui
Tenho que agora enfrentar
Todos os medos que tive
Ocultos em algum lugar
E então chorar
Não vai adiantar se eu tentar e desistir
Tudo passou e eu fiquei tão só
Não vai adiantar você passar e eu fingir
Agora eu sei o que você era para mim
Às vezes a reflexão
Parece não dizer
Quando caio ao chão
Deixo tudo a fazer
E então por que pensar?
Não vai adiantar se eu tentar e desistir
Tudo passou e eu fiquei tão só
Não vai adiantar você passar e eu fingir
Agora eu sei o que você era para mim
Então você não está aqui
Tenho que agora enfrentar
Todos os medos que tive
Ocultos em algum lugar
E então chorar
Não vai adiantar se eu tentar e desistir
Tudo passou e eu fiquei tão só
Não vai adiantar você passar e eu fingir
Agora eu sei o que você era para mim
O que você era para mim

6 - Meu Roteiro
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00006

Sobre as montanhas o céu é mais limpo
As asas secam e fazem sentido
Tudo que se vê é desenho é maior
Os pássaros da canção em dó
Não basta olhar, tem que querer
O voo se dá quando se imagina
Desenha a atmosfera, faz por merecer
A vida te enquadra fora da doutrina
Meu Roteiro
Eu escrevo
Você faz a cena, revela o filme
As ideias sozinhas no corrimão
Cruzam o ar quente sem perfume
O mundo lhe dá a chave da criação
Meu Roteiro
Eu escrevo
Deixe pra trás o mundo que te pesa
Sem energias ou rostos invisíveis
Tudo é questão do lado da moeda
Da temperatura dos velhos móveis
Meu Roteiro
Eu escrevo

7 - De Nada Sei
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00007

Segure bem forte minha mão
Pois iremos entrar no meio da escuridão
E não se preocupe mais
Ao sair você terá sua paz
Então andava sozinho
Desenhando seus pés procurando seu ninho
Era aquele pobre moço
Com suas marcas no pescoço
Todo o tempo que eu criei
Nada sei
Todo o tempo que te amei
De nada sei
Confie em seu coração
Mesmo se ele estiver ao lado do não
Diga a ele que você deixou pra trás
E que ninguém mais mal te faz
Todo o tempo que eu criei
Nada sei
Todo o tempo que te amei
De nada sei
Onde iriam cair minhas mãos?
Se as jogassem ao alto ou me empurrassem ao chão
Claro é o véu que brilha em seus olhos
Mas é também o céu em meus sonhos
Todo o tempo que eu criei
Nada sei
Todo o tempo que te amei
De nada sei

8 - Tentativa de Hit
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00008

Vou fazer um hit
Pra ver se você me olha
Sim, vou manter a fábrica aberta
Até o fim da história
Quero ser um hit maker
Minha vida tentativa de hit
Maker
Minha vida tentativa de hit
Sei, você é uma major
Eu sou um nó no meio do retalho
Vou dizendo sim Senhor
Sim Major soy o novo retardatário
Quero ser um hit maker
Minha vida tentativa de hit
Maker
Minha vida tentativa de hit
Maker
Minha vida tentativa de hit

9 - Linha do Tempo
(Rodrigo Rodriguez)
br-2rp-14-00009

E na linha do seu tempo
Por entre as fibras secas
Onde seus olhos vagavam no seu momento
E na linha do seu tempo
Quantos nós você encontrou?
Quantos de nós com ferimentos?
Não pense em nada no momento
Desprenda-me da linha do tempo
Não pense em nada no momento
Desprenda-me da linha do tempo
No ponto onde a linha é fraca
As origens da dor
Cegam, contorcem e quebram espadas
Que no rio estão ancoradas
Nas fronteiras das cabeças
Prende as lembranças como arame farpado
Não pense em nada no momento
Desprenda-me da linha do tempo
E na linha do seu tempo
Palavras pelas chamas
O lenhador as alimenta como um experimento
Você encara a extremidade
Repara ao fundo: não há saída
O que fazer é vagar pela eternidade
Não pense em nada no momento
Desprenda-me da linha do tempo